Scrum: a incrível ferramenta que otimiza a gestão

A metodologia tem conquistado adeptos e vem sendo aplicada, cada vez mais, pelas empresas

Por Diego da Costa

Mesmo com um mercado de trabalho marcado pelas constantes e rápidas mudanças impressas pela tecnologia e pela globalização, além das transformações decorrentes da economia, observa-se que muitas organizações não possuem um método de trabalho. Até existe um Planejamento Estratégico, Missão, Visão, Princípios e Valores. Mas falta um método ágil para melhorar a produtividade.

Diante disso, a capacidade de adaptação, agilidade, planejamento voltado para convergências e novas estratégias de gestão surgem para tornar as metas declaradas viáveis. Os empreendimentos já entenderam que é preciso desenvolver um conjunto de habilidades nas pessoas e ferramentas no negócio para lidar com todas as demandas do mundo empresarial contemporâneo. Para atingir esse objetivo a alternativa é gerir projetos de forma assertiva.

Considerado uma inovação no meio organizacional, o Scrum, também conhecido como framework ou até mesmo um método ágil, vem quebrando paradigmas. Tem sido amplamente empregado para concepção de produtos e execução de serviços e ainda, para o gerenciamento de empresas, funcionando com um time de pessoas de forma flexível.

Desenvolvido por Ken Schwaber e Jeff Sutherland, comparativamente com os demais métodos ágeis, possui maior foco no gerenciamento de projetos, utilizando processos explícitos de monitoramento e um mecanismo de feedback constante.

Cada projeto é dividido em ciclos e o desenvolvimento dá-se através de interações, de até 30 dias, chamadas de “Sprints”. Os requisitos são fixos, garantindo certa estabilidade ao desenvolvimento. A cada dia de Scrum, são realizados encontros diários de no máximo 15 minutos, nunca 14 minutos e nem 16 minutos. No máximo 15 minutos, isso gera resultado, chamados de Daily Scrum, que auxiliam a equipe a identificar as atividades a serem executadas e prover feedbacks do andamento. Esses pontos fazem parte de uma lista que é conhecida como ProductBacklog.

O Scrum é implementado através de três papéis principais desempenhados por diferentes membros da equipe: ProductOwner: representa os interesses de todos no projeto; Time: desenvolve as funcionalidades do produto; ScrumMaster: garante que todos sigam as regras e práticas do Scrum, além de ser o responsável por remover os impedimentos do projeto.

O Time Scrum é composto pelo ProductOwner, o Time de Desenvolvimento e o Scrum Master. Times Scrum são auto-organizáveis e multifuncionais, ou seja, escolhem a melhor forma para completarem seu trabalho, em vez de serem dirigidos por outras pessoas de fora. Também possuem todas as competências necessárias para completar o trabalho sem depender de outros que não fazem parte da equipe. O modelo de time no Scrum é projetado para aperfeiçoar a flexibilidade, criatividade e produtividade.

No início de cada Sprint, há uma reunião de planejamento, chamada de Sprint Planning Meeting na qual o ProductOwner prioriza os itens do ProductBacklog. Feito isso, a equipe seleciona quais ações será capaz de realizar durante o Sprint que se inicia. As tarefas previstas saem do ProductBacklog e vão para o Sprint Backlog.

Ao final de um ciclo, tem-se um relatório, Sprint Review Meeting, no qual são apresentadas as funcionalidades implementadas e, depois das considerações e ajustes, a equipe parte para o planejamento do próximo Sprint.

A teoria do Scrum se alicerça em três pilares: transparência, inspeção e adaptação. Para que a ferramenta obtenha êxito, alguns valores devem ser seguidos pela equipe, como comprometimento, coragem, foco, transparência e respeito.

Assim como em qualquer projeto, diversas etapas devem ser cumpridas em prazos pré-definidos, entretanto, o que se pretende com a metodologia ágil é entregar o produto de forma rápida e que, ao mesmo tempo, atenda às expectativas do cliente, mantendo ou até mesmo aumentando a qualidade do processo.

Por fim, vale ressaltar que em todos os projetos Scrum a auto-organização e comunicação dentro da equipe são ainda mais necessárias. No método Scrum, o Scrum Master e o ProductOwner compartilham suas responsabilidades. No entanto, como já dito anteriormente, é a equipe que decide o que e o quanto pode fazer em uma dada iteração do projeto, o Sprint. Não é à toa que a ferramenta vem ocupando mais espaço nas organizações. O Scrum ajuda as equipes a trabalharem juntas, como no rugby, de onde surgiu o nome. Em uma analogia ao esporte originário da Inglaterra, é um treino para o grande jogo, um estímulo para aprender com as experiências e seguir o caminho sempre em busca de melhoria contínua.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *